fbpx

Blog

Relatório da Check Point revela alta global de ataques no primeiro semestre de 2020

13 de Agosto de 2020  

Elevação dos ataques foi impulsionada pela exploração da pandemia da Covid-19 como tema principal

O relatório “Tendências dos Ciberataques: Primeiro Semestre de 2020” divulgado pela Check Point, indica como cibercriminosos e grupos de ciberameaças políticas e de Estado-nação exploraram a pandemia da Covid-19 e temas correlatos. Os temas foram utilizados em campanhas para atingir organizações em todos os setores da economia, incluindo governos, indústria, assistência médica, provedores de serviços, infraestruturas críticas e consumidores informa o estudo. Saiba mais informações a seguir.

De acordo com o relatório, os ataques de phishing e malware relacionados ao Coronavírus cresceram drasticamente de menos de 5 mil por semana em fevereiro para mais de 200 mil por semana no final de abril. Em maio e junho, quando alguns países começaram a flexibilizar seus lockdowns, os cibercriminosos também aumentaram os ataques não relacionados à pandemia. Isso provocou um aumento de 34% em todos os tipos de ciberataques no final de junho, na comparação com os meses de março e abril.

Principais tendências apresentadas no relatório

  • Mais ciberguerra: os ciberataques de estados-nação aumentaram em intensidade e gravidade, já que procuravam reunir informações ou interromper o controle da situação da pandemia por seus rivais. Isso se estendeu a organizações de saúde e humanitárias, como a Organização Mundial de Saúde – OMS, que relatou um aumento de 500% em número de ataques;
  • Ataques de dupla extorsão: os atacantes extraem grandes quantidades de dados antes de criptografar os sistemas das vítimas. Em seguida, ameaçam com o vazamento dos dados caso as vítimas se recusem a pagar o valor do resgate para recuperação dessas informações;
  • Explorações de vulnerabilidades em dispositivos móveis: os cibercriminosos buscaram novos vetores de infecção, aprimoraram suas técnicas para burlar as medidas de segurança e colocaram aplicativos maliciosos nas lojas oficiais;
  • Exposição a riscos na nuvem: a rápida migração do trabalho para nuvens públicas, ocorrida durante a pandemia, levou a um aumento de ataques direcionados a cargas de trabalho e a dados armazenados na nuvem. Os cibercriminosos também estão usando a infraestrutura de nuvem das empresas para armazenar payloads maliciosos.

As descobertas do relatório “Tendências dos Ciberataques: Primeiro Semestre de 2020” fornece uma visão detalhada do cenário de ciberameaças e são baseadas em dados extraídos do centro de inteligência ThreatCloud da Check Point, destacando as principais táticas cibercriminosas adotadas para atacar empresas.

A Velonet recomenda cautela no acesso, na receção e no partilhamento de conteúdos digitais associados à temática da pandemia COVID-19, devendo dar-se prioridade a fontes oficiais de informação. Caso sua empresa necessite de suporte, a Velonet é uma empresa especialista em Segurança de Rede com monitoramento 24 horas de TI em ambientes corporativos.